quinta-feira, 29 de abril de 2010

A gente se merece


A gente se merece
Na falta e na fartura
Na paz e na amargura
No amor e na dor

Na ausência e na presença
No desejo e na falta
No mar e na cama
No bar e na lama

De alma e no corpo
No fogo e no frio
Na rima e na prosa
No espinho e na rosa

No chão e no céu
A gente se merece

No canto e no pranto
Na espera e no encontro
Na dúvida da certeza
De que sou sua


LFG, 29 de abril de 2010.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Tolices



Amor
Quando duas pessoas fazem amor
Não estão apenas fazendo amor
Estão dando corda ao relógio do mundo
Mário Quintana


O amor e o desejo são as asas do espírito das grandes façanhas.
Johann Goethe




Se eu disser que te amo
Perco-me de mim
e não me encontrarei mais
Pois não vivo aí

Faço da farsa minha aliada
Pinto-me de sensata
Esperando que acredite que
para mim você é quase nada.

Quem é mais tolo?
Eu fingindo não amar?
ou você fingindo acreditar que não te amo?



Para fechar o amor (ato falho!)


O amor é o desejo irresistível de ser irresistivelmente desejado.
Robert Frost

Tudo se resume ao desejo, enfim?!


lfg, 28 de abril de 2010.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Outono



Minha verdade dura uma estação.

Amo profundamente hoje.

Amanhã? Não sei!

Mas quem disse que amores são mensuráveis?

E qual a relação entre tempo e amor?

Não me mensuro; sou extremo.

Hoje você é meu ar,

Amanhã é vaga lembrança de um outono que desbotou.

Hoje quero você para sempre,

Mas porque não nasci para cultivar amores impossíveis,

Amanhã será como o retrato antigo de uma estação que não tem volta:

Nostalgia de um tempo que findou.



lfg, 27 de abril de 2010.

sábado, 24 de abril de 2010

Mônada.




Alma não cabe no corpo; corpo é secundário.

Depois que a pele acaba a alma continua

E é ali, onde acaba o corpo - que se constitui novidade,

Que te reconheço.

Quando próximos o suficiente para que nossas almas se toquem

Reencontro-te e sinto que estou onde sempre deveria ter estado

E onde desejo continuar.


  
E que o novo seja complemento do que já foi!
E se não for complemento, que seja tudo.
Que traga sempre a paz, a cor, o Criador para junto de mim.


lfg, 24 de abril de 2010.

Pescado na net.


Ame para conhecer, não conheça para amar.  
O amor é violento mesmo quando temos controle sobre ele. 
O amor é um excesso que retira a possibilidade de viver pequeno.

Não ame (...) porque ele foi leal, o único que a ouviu, a aconselhou, a compreendeu. Isso é amizade que pode estar no amor, mas não é amor. Amor tem mais pele do que osso. Osso se guarda na terra. Já a pele cheira-se com insistência para contrariar o esquecimento.
 
Amor não se convence. Não se enraíza com argumentos. Não começa pela cautela. Amor é a falta de prevenção. 
Não se faz discutindo, amor se faz precisando.

Fabrício Carpinejar
VISTO AQUI

Perpétuo...


Erramos sempre tentando acertar.
O acerto é o alvo.
Mas erramos...

E assim é feita a vida:
Hoje você acerta, depois erra.
Cabe aprender com os erros.

Mas por vezes teimamos em continuar errando.
Pior, sabemos de antemão;
Sabemos o que nos custará
E apesar disso, com pesar, continuamos.

Usamos uma moeda de troca qualquer
Que justifique para nós a eterna errância.
Seguimos perpetuando equívocos.



lfg, 24 de abril de 2010.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

É chegada a hora.



Se te conheço de antes de mim,
Sinto-me culpada por você,

Se o encontro é reencontro
E se tudo tem gosto de já vivido,

Se não cabem novidades, pois tudo é conhecido
Aceito passiva o conforto e a paz.

 Desisto de procurar respostas.
 Desisto de fazer perguntas.
 Não peço mais desculpas.
 Não quero entender mais.

Só quero dizer seja bem vindo de volta,
pois é chegada a hora da redenção.
 
 
Lilian F Gomes, 22 de abril de 2010.
 
 
"Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais, quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou;
 
(...) Cuida de mim enquanto finjo, enquanto finjo, enquanto fujo." (TM)
 


quarta-feira, 21 de abril de 2010

Imagem, Palavras e Som.



Sim,
Tudo agora está no seu lugar
O universo até parece conspirar pra que não seja em vão,
Tanto tempo esperando esse amor
Sim,

Parece até que nada em nós mudou
Tanta coisa a gente inventou
Pra chegar afinal onde sempre eu te quis ver chegar

Paixões que eu vivi como se fosse uma,
A tua espera sempre foi assim
Contratos feitos com o tempo

Amores são sempre possíveis
Sim

Brilhe onde estiver.



Se aproprie do que sente agora.

Ninguém fez você se sentir assim; isso já estava dentro de você. 
Só não tinha espaço para brilhar.

Se o inverno passou, dê graças por tê-lo vivido e por ter passado por experiências que levará por toda a vida. 
Mas não se esqueça que todas as estações estão em você; sempre estiveram.

Se hoje dorme em paz, dorme o sono do justo que sente que cumpriu sua tarefa. 
Saiba que seu sono justo é merecimento e não graça.

Responsabilize-se por este sentimento grandioso de paz, saiba que é seu. 
Não vem de fora; nasce aí.

Sempre está aí. Sempre esteve aí.

Se responsabilizar um momento, circunstância ou alguém, 
mais cedo ou mais tarde vai abrir espaço para que o inverno volte com seu cinza 
que rouba a sua cor; 
saiba que o verão é criação sua; o arco-íris é você.

Somos como a aliança divina, 
unindo céu e terra 
e tudo o que está entre os dois e que não podemos alcançar.

Brilhe sempre colorido
pois nascemos para brilhar em arcos no céu.

Todas as cores do mundo estão em você!


LFG, 20 de abril de 2010. 


terça-feira, 20 de abril de 2010

Livre de mim.



Qual a medida do certo e do errado?

Alguém um dia disse que X era certo e que Y era errado e foi o que bastou.

Conceito que se perpetuou e que permanece como verdade absoluta.

Ninguém contesta. Todos aceitam.

As regras estão ai, foram-nos dadas e, alienados, seguimo-las sem nos dar conta de que tudo o que pensamos fazer de original na vida está imbuído de normas, as quais são intrínsecas, quase natas.

Quero ser original na vida, mas tudo o que penso me leva a ações ordinárias.

Quero fazer do “meu jeito”, mas não consigo me livrar do fardo do certo e do errado.

Quero contestar aquele que um dia disse que o Y era errado, gritar que estava errado e que não compactuo mais com seu dogmatismo, mas falta-me a audácia necessária para me jogar na vida e ser livre.

Meus pensamentos contaminados me levam a ações doentias que me privam da liberdade de ser essencialmente quem deveria ser.

Estou presa a convenções de tempo que me dizem que sou prisioneira da vontade alheia.

Calo em mim a ânsia por liberdade, por fazer do “meu jeito”, porque aprendi que alguém algum dia disse que o X era o certo.

E temos que ser certos na vida.

Por quê?

Se eu quero ser errada na vida tomo-a como criação minha, responsabilizo-me e arco com as conseqüências que certamente recairão sobre mim, pois ir contra o estabelecido sempre suscita hostilidades.

Devo me desprender dos conceitos que vivem arraigados em mim para que possa compreender a hostilidade como mera ignorância de quem não sabe que pode fazer diferente.
 
Devo ser livre dentro de mim. 

Devo transgredir-me!

Devo ser errada na vida.


LFG, 20 de abril de 2010.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Beijo



Como os lábios são uma das regiões mais sensíveis do corpo humano, um beijo envolve cerca de 10 bilhões de células nervosas carregadas de energia.
No encontro dos lábios, desencadeia-se um processo elaborado de prazer. 
Todos os sentidos são envolvidos e a química entre as duas pessoas leva a sensações de felicidade e euforia. 
O beijo assim como o toque são essenciais para o bem-estar do ser humano.

O cérebro
O transmissor neuroquímico feniletilamina, que potencializa os processos cerebrais, aumentando a velocidade dos impulsos elétricos, é o primeiro a ser liberado.
Outros neurotransmissores envolvidos são a dopamina, que desencadeia o estado de euforia, e a norepinefrina, responsável por estimular a adrenalina, que dá energia extra.
Grandes quantidades de endorfina e oxitocina – principais hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar – são liberadas. 
O hormônio vasopressina, responsável por ativar a memória, é acionado e leva à lembrança vívida de cada detalhe do momento do beijo.

O Corpo
As pupilas se dilatam.
As mãos suam.            
Sente-se fraqueza nos joelhos.
O coração dispara.
Frio no estômago.
O córtex visual do cérebro fica alerta, percebendo os mínimos detalhes do outro.
O olfato e o paladar captam cada mínimo cheiro e gosto associados ao outro.
Ou o beijo é...

Pertença.
Um beijo pode conter em si “seja bem vindo de volta”, “aqui é seu lugar e meu lugar é aí”.
Um beijo pode ser um acontecimento repleto de reconhecimento
que sela um encontro de almas.
Para além da química, 
para além do corpo, 
é o beijo que foge ao alcance da compreensão possível à razão humana.
É aquilo que, citando Shakespeare, está entre o céu e a terra 
e que não podemos alcançar o sentido.
Podemos vivenciar e reter com cuidado
– como cuidamos do bem mais precioso – 
pois o que ele nos deixa é paz.

lfg, 19 de abril de 2010.

sábado, 17 de abril de 2010

O Amor é Outra Coisa.



- O amor não te faz arder em chamas. O nome disso é combustão instantânea. Amor é outra coisa.
- O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente feliz. O nome disso é Prozac. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa saltitante. O nome disso é Pogobol. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz acreditar em falsas promessas. O nome disso é campanha eleitoral. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz esquecer de tudo. O nome disso é amnésia. Amor é outra coisa.
- O amor não te faz perder a articulação das palavras de repente. O nome disso é AVC. O amor é outra coisa.
- O amor nao te faz sentir borboletas no estomago, o nome disso é fome. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente imóvel. O nome disso é trânsito de São Paulo. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa molinho e manhoso. O nome disso é Rivotril. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa temporariamente cego. O nome disso é spray de pimenta. O amor é outra coisa.
- O amor não faz seu mundo girar sem parar. O nome disso é labirintite. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa sem chão, o nome disse é cratera. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa quente e te leva pra cama. O nome disso é dengue. O amor é outra coisa.
- O amor não retribui suas declarações. O nome disso é restituição de imposto de renda. O amor é outra coisa.
- O amor não leva teu café da manhã na cama e ainda dá na boquinha. O nome disso é enfermeira. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz olhar pro céu e ver tudo colorido. O nome disso é queima de fogos de artifício. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ficar simpático e amoroso de repente. O nome disso é Natal. O amor é outra coisa.
- O amor não te liberta. O nome disso é ALVARÁ DE SOLTURA. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa à mercê da vontade alheia. O nome disso é Boa Noite Cinderela. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver o mundo cor-de-rosa. O nome disso é baitolice. O amor é outra coisa.
- O amor não é aquela coisa brega, mas que te remexe todo. O nome disso é Banda Calypso. O amor é outra coisa.
- O amor não te dá a chance de mudar o que está diante de você. O nome disso é controle remoto. O amor é outra coisa.
- O amor não tira suas defesas. O nome disso é HIV. O amor é outra coisa.
- O amor não te pega desprevenido e te impulsiona para frente. O nome disso é topada. O amor é outra coisa.
- O amor não faz o coração bater mais rápido. O nome disso é arritmia. O amor é outra coisa.
- O amor não faz você dar suspiros. O nome disso é dia de Cosme e Damião. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver tudo com outros olhos. O nome disso é transplante. O amor é outra coisa.


Vi no Guia Amoroso

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Quem prefere enfartar, levanta a mão!



A celulite é uma defesa orgânica feminina.   O organismo joga ali, na sua bunda, o excesso de gordura que você come, em vez de entupir suas artérias; por isso homens enfartam em maior quantidade que as mulheres.    
 
Eu tinha certeza que havia um motivo....
Deus não seria tão injusto!!!!

(me senti na obrigação de compartilhar! Risos)

Sei de mim


Sei de mim,
E isso já é um ganho, ou uma conquista que foi árdua.
Sei o que me agrada e desagrada.
Sei onde sou forte e onde sou fraca.
Sei onde pode me atingir.
E antes que me atinja, fecho-me.
Que fique tudo assim, sem ser...

lfg, 16 de abril de 2010

Pensamentos de congestionamento.


*******************
Nenhuma dor física se compara a dor da alma.

 *******************

Quisera ser justa com minh´alma e tornar verbo o que ela cala.
Mas o verbo é ação e minha alma é passiva;
Diante da dor, diante do amor, diante de tudo.
Tudo o que engloba você.

*******************

Hoje choro saudades sem lugar; amanhã rio do ontem e aprecio o que será.
Sou assim: sem eira nem beira, sem apego.
Um corpo sem coração vagando sem direção,
Buscando um lugar que me abrigue e que me contenha.
Que comporte o que não cabe em mim,
Que me doe o coração que não tenho.

*******************

Quando você olha no espelho o que vê?
Um ser humano?
Eu também!

*******************

O tempo tem que ser observado: tempo de luto.
Se não fizer o luto não haverá enterro; 
se não houver enterro carregamos o fantasma em nossas costas indefinidamente.
Que o fantasma fique onde deve estar: junto ao que findou.
Luto feito, levo a vida nas costas
e minha vida tem que ser leve como a brisa 
que vem de repente e bagunça o cabelo, 
portando toda a liberdade que só ela consegue ter; 
e que me empresta seu gosto doce de ser breve e leve!

******************* 
 

lfg, 16 de abril de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Meu coração procura abrigo.


Tenho um coração desabrigado

Desalojado, sem corpo

Busco em corpos vazios espaços que o abriguem

Encontros de corpos não alojam corações

Corpos abrigam êxtase lascivo

Busco um corpo que dê morada à meu coração

Que possa acolhê-lo com sentimento nobre

Que seja claro de intenções, que não seja ambíguo.


LFG, 15 de abril de 2010. 

terça-feira, 13 de abril de 2010

O TEATRO MÁGICO !!!



A poesia prevalece!
O primeiro senso é a fuga.
Bom, na verdade é o medo.
Daí então a fuga.
Evoca-se na sombra uma inquietude
Uma alteridade disfarçada
Iinquilina de todos nossos riscos.
A juventude plena e sem planos... se esvai.
O parto ocorre.
Parto-me.
Aborto certas convicções.
Abordo demônios e manias.
Flagelo-me.
Exponho cicatrizes.
E acordo os meus, com muito mais cuidado.
Muito mais atenção!
E a tensão que parecia não passar
“O ser vil que passou pra servir...Pra discernir...”
Pra pontuar o tom. Movimento, som.
Toda terra que devo doar!
Todo voto que devo parir.  

Nunca dever ao devir.
Nunca deixar escoar a dor!
Nunca deixar de ouvir...com outros olhos".

(Amadurecência, por Fernando Anitelli, faixa 1 do Segundo Ato)


...Sem horas e sem dores...
...Bem-vindos ao Teatro Mágico...
...Entrada ao preço da razão...

Viva a tua maneira
Não perca a estribeira
Saiba do teu valor
E amanheça brilhando mais forte
Que a estrela do norte
Que a noite entregou

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Foi um ciclo.



E chega o fim.

Tudo tem fim nesse mundo, nesse planeta de transformações.

Estamos subordinados a um ciclo natural, no qual tudo floresce, vira semente, germina, desenvolve-se, atinge a plenitude, começa a morrer.

Não tem como fugir do inevitável!

Agora falta o luto: perceber que morreu, tomar consciência da morte e, se quiser (ou conseguir), prantear.

E pensar que a vida é assim mesmo: repleta de pequenos ciclos que têm inícios lindos, os quais, se conseguirmos fazer com que atinjam a plenitude, cabe-nos um sentimento de gratidão, pois nem tudo que vira semente germinará.

O que posso dizer? Sinto-me grata!

Seguiu um ciclo natural, inevitável, porém completo.

Não cabem reclamações, lamúrias e impropérios contra o destino.

Não cabe nem saudade.


"Só me resta agora acreditar
que esse encontro que se deu
não nos traduziu melhor"